gênero, neoconservadorismo e democracia: disputas e retrocessos na américa latina

imagem: editora Boitempo.

Beatriz Rodrigues Sanchez

O livro “Gênero, neoconservadorismo e democracia”, de autoria de Flávia Biroli, Maria das Dores Campos Machado e Juan Marco Vaggione acaba de ser publicado pela editora Boitempo. Entre os anos de 2018 e 2019 as autoras realizaram extensa pesquisa empírica sobre os movimentos neoconservadores na América Latina. Um dos casos analisados, por exemplo, foi o protesto organizado contra Judith Butler no Brasil. Como parte desse movimento, expressões como “ideologia de gênero”, “feminismo radical” e “marxismo cultural” se tornaram cada vez mais comuns. Como argumentam as autoras, essa ascensão do autoritarismo, articulada com o neoliberalismo, representa uma grave ameaça aos direitos, à dignidade e à vida das pessoas que não se enquadram nos padrões cisheteronormativos. A análise apresentada pelo livro contribui para pensarmos teoricamente as relações entre gênero, religião, direitos e democracia, além de apontar caminhos para as possibilidades de resistência.

Recomendamos a leitura 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s